QUAL O VERDADEIRO PROPÓSITO DA SAUDADE ???

07/03/2010 15:03

         

 

A palavra Saudade traz em si, diversos significados que podem ser interpretados de acordo com o contexto onde é aplicado. Sua origem encontra-se no Latim, Solitate, e se pesquisada, descobriremos que a conotação contemporânea distanciou-se da original. Saudade não mais se refere ao sentimento de solidão preservado em variações de línguas românicas como o espanhol: soledad e soledat.
 
Sobre a saudade, podemos encontrar definições como "Sentimento mais ou menos melancólico de ausência, ligado pela memória à situações de privação da presença de alguém ou de algo, de afastamento de um lugar ou de uma coisa, ou à ausência de certas experiências e determinados prazeres já vividos e considerados pela pessoa em causa como um bem desejável"; ou
 
"Lembrança nostálgica e, ao mesmo tempo, suave, de pessoa ou coisa distante ou extinta. Pesar pela ausência de alguém que nos é querido". Como sinônimos, encontramos Lembrança e Nostalgia.

Na gramática saudade é substantivo abstrato, tão abstrato que só existe na língua portuguesa. Os outros idiomas têm dificuldade em traduzi-la ou atribuir-lhe um significado preciso: Te extraño (castelhano), J'ai regret (francês) e Ich vermisse dish (alemão).
 
No idioma inglês encontramos várias tentativas: homesickness (equivalente a saudade de casa ou do país), longing e to miss (sentir falta de uma pessoa), e nostalgia (nostalgia do passado, da infância). Mas todas essas expressões estrangeiras não definem o que sentimos. São apenas tentativas de determinar esse sentimento que nós mesmos não sabemos exatamente o que é. Não é só um obstáculo ou uma incompatibilidade da linguagem, mas é principalmente uma característica cultural daqueles que falam a língua portuguesa.

Saudade não tem cor, mas pode ter cheiro. Não podemos ver nem tocar, mas sabemos o quanto é grande. Pode ser o sentimento que alimenta um relacionamento amoroso ou apenas o que sobra dele. Pode ser uma ausência suave ou um tipo de solidão.
 
É a dor de quem encontrou e nunca mais encontrará, de quem sentiu e nunca mais voltará a sentir. A saudade se combina com outros sentimentos e procria-se. A soma da saudade com a solidão é igual a dor. O resultado da saudade com a Esperança é a Motivação

Saudade é um registro fiel do passado. É a prova incontestável de tudo que vivemos e ficou impresso na alma. Ao confessarmos uma saudade, na verdade, estamos nos vangloriando de que, ao menos uma vez na vida, conhecemos pessoas e vivemos situações que foram boas, e serão eternas em nossa alma.
 
Saibamos viver plenamente o presente, pois ele será a saudosa lembrança de amanhã.

Vejamos o que a Palavra de Deus no revela sobre a saudades:
 

Como os Israelitas, todos nós temos sonhos, alvos e objetivos de grande importância para nossas vidas. Deus, como fez a Israel, tem empenhado grandes promessas e deseja que alcancemos também a nossa terra prometida. O melhor de tudo isto é que, de fato, podemos alcançar as promessas de Deus, (Js 1: 10-11).
 

Na fronteira de Canaã, dois fatos ocorreram de grande importância para que o povo pudesse alcançar a terra prometida. Vamos juntos com Josué, vivenciar esses fatos, aplicando-os à nossa vida..

Nossa passagem pelo rio Jordão

 

 

"Levantou-se, pois, Josué de madrugada e, partindo de Sitim ele e todos os filhos de Israel, vieram ao Jordão; e pousaram ali, antes de atravessá-lo", (Js 3: 1).
O Jordão é um dos lugares mais baixos da terra. O rio situa-se num vale que, em algumas partes, chega a quase 800 metros abaixo do nível do mar. Para alcançar a terra de Canaã, os filhos de Israel tiveram que descer até as margens do Jordão e agora iriam transpô-lo.
 
Com Deus é assim: precisamos descer para conquistar. O descer com Deus tem um significado espiritual importante: é estar disposto a se humilhar e, se necessário, abrir mão de posturas, posições, projetos pessoais e toda altivez da vida.

O Jordão é o momento de abandonar nossa incredulidade. Josué colocou o povo às margens do rio. O povo pôde refletir numa grande verdade: os sonhos, que antes pareciam mais distantes do que nunca, após quarenta anos estavam prestes a ser concretizados.

Todos estamos sujeitos a certas frustrações, quando, por mais que lutemos, parece não alcançamos o propósito, o sonho. Surge aquela sensação de abandono por tudo e por todos: pais, líderes, amigos e até de Deus. Se Israel fez isso, agora estava vendo que Deus é fiel. Ele estava cumprindo integralmente a promessa.

O Jordão são os últimos obstáculos da vida. Bem à frente do povo estava um obstáculo final e real: as águas turvas, profundas e rápidas do Jordão. Em nossa vida pessoal, no ministério, nos relacionamentos familiares, no casamento, na igreja, na vida profissional e principalmente na vida espiritual há momentos em que nos sentimos incapazes, despreparados e pequenos diante dos problemas que surgem.

Mas, nesses instantes de declínio, de medo, de fraqueza, de vontade de desistir de tudo, saudades, é que devemos nos espelhar no que fez Josué: sentir, bem de perto, o mover de Deus em favor de nossas vidas.

No Jordão, tiramos lições maravilhosas:

- Aprendemos que, para algo novo começar, precisamos enfrentar os declínios,as lutas, as incompreensões, a sensação de estarmos sós.


- Descobrimos que o Jordão desta vida precisa ser encarado com coragem e fé, pois Deus haverá de nos levar à conquista da Terra Prometida.

Num momento de incerteza, no mar da Galiléia, Jesus repreendeu as águas e os ventos, vindo a seguir a calmaria. Da mesma forma, Deus não deixou de agir, de ver e de operar em favor de sua vida também.

Nosso acampamento em Gilgal:

"O povo, pois, subiu do Jordão no dia dez do primeiro mês, e acampou-se em Gilgal, ao oriente de Jericó", (Js 4: 19.)

Gilgal - uma nova realidade - O opróbrio do Egito já havia ficado para trás, o sofrimento do deserto tinha sido vencido e o Jordão já havia sido transposto. Uma nova realidade surgiu na vida dos filhos de Israel: agora é um novo começo, uma nova vida. Deus disse a Josué: "Hoje revolvi de sobre vós o opróbrio do Egito; pelo que se chama aquele lugar: Gilgal, até o dia de hoje", (Js 5: 9.)

Gilgal - um novo motivo para celebração. A concretização da promessa de Deus levou o povo a erigir um altar, houve circuncisão e a celebração da páscoa. O maná cessou. A Arca passou a pernoitar, após circular a cidade de Jericó. Gilgal tornou-se o quartel-general de Israel para a conquista! E começou a distribuição da terra.

Gilgal - um lugar histórico. Gilgal se tornaria, no futuro, um dos lugares históricos, onde Samuel julgou Israel, onde Saul foi proclamado rei e onde Davi foi restaurado, após a rebelião de Absalão.

Gilgal - um memorial de vitórias. Deus ordenou ao povo que se preparasse para um tempo novo, um viver diferente. Não se inicia um tempo novo no casamento, no relacionamento familiar, na vida espiritual, no ministério, se não estivemos dispostos a palmilhar um caminho diferente e a conquistar nossos sonhos, apropriando-nos das promessas de Deus.

Existe um lugar de renovação, de colheitas e da abundância de Deus. Mas antes devemos ter consciência de que o Egito e o Jordão (Saudades) devem ficar para trás em nossas vidas. Devemos, com persistência, fazer nosso esforço para alcançar a Terra Prometida.

Em Gilgal, aprendemos:

- Que Deus nos quer fazer livres dos fardos pesados do Egito, do sofrimento humilhante do deserto, do desnível acentuado do Jordão.

- Que, com Ele, podemos superar algum fracasso em nossa vida, uma vida espiritual sem motivação e mesmo uma vida familiar sem sucesso.

- Que Deus age à medida que avançamos rumo às suas promessas e liberamos o nosso coração a crer em sua Palavra empenhada a nós.

- Que devemos quebrar nossa resistência e oposição e abandonar tudo que nos escraviza em favor de uma obra maior que Deus quer realizar através de nós. Não permita que nada o impeça de conquistar as bênçãos do Senhor.

CONCLUSÃO:

Sintamos saudades sim, mas como lembrança de situações, pessoas ou algo que passou por nossas vidas, para nos ensinar e trazer aprendizado, mas não permitamos que ela nos faça retroceder.

A terra prometida simboliza o lugar da vitória em Deus. É um lugar de conquistas espirituais. Um lugar para vencedores. É o seu lugar, o lugar da sua família, daqueles que você ama . É lugar do povo de Deus.

Abandone a saudade do Egito, a obstinação de resistir à ação de Deus. Deixe de lado a insegurança do deserto, a incerteza do Jordão e venha agora para Gilgal. O altar de Deus é o lugar da sua bênção, da sua vitória com obediência, da realização de seus sonhos. Gilgal é o lugar de um recomeço com Deus.

 
 

 
p/Eliane de Antonio

 


 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!