O DENTE E A ALMA

03/08/2010 18:53

Muito e interessante e edificante este texto que nos mostra a relação de cura entre dente e alma.
 

 O que Jesus falaria para os odontólogos ou para os seus clientes? Como apresentaria o seu projeto de vida abundante?

Um texto bíblico trouxe-me a resposta perfeita. Observe em (Mateus 13) que Jesus ensinava através de parábolas, isto é, " narração alegórica que encerra uma verdade importante ou um preceito moral".

Exemplo: quando falava para os pescadores, comparava os mistérios divinos com o que eles tinham na mão: "O reino dos céus é semelhante a uma rede..."

 

A alma e o dente são semelhantes porque, quando estão com problemas, todo o corpo sofre.
Você já experimentou uma dor de dente e sabe do que eu estou falando. Você fica sem lugar. É uma das piores dores que enfrentamos.

A cárie, quando chega à dentina, produz sensibilidade. Alcançando o nervo, geralmente provoca dor intensa.

Como a alma também é assim. Quando ela esta com problemas, toda a vida,todas as áreas são perturbadas.

Toda a historia do ser humano vive as conseqüências de uma alma aflita, sem paz, de uma com "cárie" : família, vida profissional, etc (Gênesis 4:5 / Salmo 38).
 
Nós somos mais que sangue, músculo, ossos, cabelos... Nós temos uma alma e é essa parte importantíssima do nosso ser que precisamos descobrir e tratar, pois ele gerencia as demais funções do nosso viver.
 
A alma e o dente são semelhantes porque um simples tratamento com analgésico não resolve o problema. Seria fantástico se, quando o dente dói, não precisássemos daquela agulha furando a gengiva, o barulho incomodo do motor, a presença do boticão...

Pingar pinga, mastigar cibalena ou auto-sugestão não resolve. É preciso tratar: examinar, radiografar, chegar até a raiz...
 
Com a alma também é assim. Os paliativos não resolvem suas crises: viagens, compras, drogas, sexo, dinheiro, filosofia, festas, bebidas... nada é suficiente para acabar com a dor da alma. Ela precisa ser tratada.
 
O sábio Salomão afirmou que, durante um período de vida, tentou resolver o problema de alma das mais diferentes formas: bebidas, empreendimentos, mulheres...(Eclesiastes 2:1-11).

 

"... e eis que tudo era vaidade a correr atrás o vento, e nenhum proveito havia debaixo do sol".
A alma e o dente são semelhantes porque todo tratamento objetiva " recuperar" e não "extrair".
 
Este foi um dos avanços da odontologia. Antigamente, quando o dente doía, a opção mais comum era de extrair e, quem podia, colocava um dente postiço. Descobriram que, por pior que seja a deformação, o melhor é fazer um canal ou colocar um aparelho até concertar. Com a alma também é assim.
 
Por pior que seja a crise ou a deformação interna, o segredo não é o suicídio ou a fuga nas mais variadas formas. O segredo é como conseguir recuperar, como refazer e concertar.
 
A família, a religião, todos nós, precisamos entender que a melhor opção é parar e tratar da alma principalmente quando se trata do próximo. Nada de extrações legalistas ou farisaicas como primeira opção. A prioridade dos investimentos tem que ser na restauração (Mateus 12:20).

 

Os restos alimentares não removidos, juntos com as bactérias da boca, formam a placa bacteriana depois o tártaro.

Com a alma também é assim. Um habito sistemático de " boa higiene" vai imuniza-la contra inúmeras crises, principalmente se este cuidado vem sendo observado desde os tempos da mamadeira, desde a infância.
É preciso investir na vida devocional: estudo bíblico, tempo de oração e comunhão com o povo de Deus. Foi assim que Timóteo desenvolveu uma bonita "arcada" histórica, sem " tártaros" comportamentais (2 Timóteo 3:15).

 

A alma e o dente são semelhantes porque o melhor tratamento é sempre o preventivo.

Todos, durante toda vida, precisamos ter um cuidado diário com os dentes, escovar, passar o fio dental, visitar periodicamente o dentista, aplicar selantes...

 

Sim! Veja com atenção como existe uma grande semelhança entre a alma, os dentes e as propostas de Deus para a nossa vida.

 

Hoje, no consultório ou na sala de aula dos odontólogos não tenho dúvidas, Ele diria: "a alma humana é semelhante ao dente".

 

A alma e o dente são semelhantes porque os seus amigos são sutis.

Como aparece uma cárie? Imperceptível, sorrateira. Ela surge no meio daquilo de que todos gostamos em que ingerimos muitas vezes sem o cuidado necessário. Uma bala doce, tão inocente e pura, que pecado tem? Ou um chiclete... Esses são alguns dos vilões da saúde bucal.
 
Com a alma também é assim. A bíblia fala sobre o diabo e deixa claro que um dos seus maiores investimentos é provar que não é tão mau ou que não existe. Lê não aparece com garfo ou chifres, soltando fogo pela boca (2 Coríntios 11:14).

Ele vem perturbar a nossa alma, muitas vezes, nas situações mais doces e alegres, sempre lambuzando de mel as suas funestas ofertas para nos destruir. Cuidado!
A alma e o dente são semelhantes porque um especialista é sempre a melhor indicação para o tratamento.

 
Conhecida desde a antiguidade, a odontologia desenvolveu-se a partir de experiências realizadas por curiosos (muitas vezes artesão ou barbeiros). No Brasil, o curso foi considerado de nível superior em 1879 e somente a partir de 1934 extingui-se a atividade de dentista prático.

Com a alma também é assim. Você corre inúmeros riscos se confiar o tratamento dela a pessoa errada.

Muitos personagens históricos foram ótimos filósofos, cientistas... mas especialista em alma humana só existe um. O seu nome é Jesus Cristo. Ele é o único capaz de cura-la, preenchendo os vazios e endireitando as deformações (João 14:6). Confiar na pessoa errada pode ser fatal.
 
A alma e o dente são semelhantes porque exigem um tratamento urgente.
 
Os resultados das pesquisas recentes revelaram que as doenças periodontais (de gengiva) podem ser um perigo muito mais serio para a saúde geral do que antes se pensava, podendo levar até a morte súbita. Principalmente se você já esta sentindo dores, não adie o tratamento. Procure logo um dentista.
 
Com a alma também é assim. Acertar sua vida com Deus também é uma decisão para agora. É urgente. Não protele mais. Amanhã pode ser muito tarde.
 
Você já tomou essa decisão? Se ainda não, gostaria de saber agora sobre a saúde de sua alma? Agora, ai mesmo onde você está entregue o seu coração a Jesus, convide-o, humildemente, para ser o senhor da sua historia. Você será uma nova criatura. (II Corintios 5:17).
 
A alma e o dente são semelhantes porque medo e falta de informação são as principais causas do precário estado de muitos.

Por não ter acesso a informações tão simples como essas sobre por que e como tratar dos dentes, muitos brasileiros tem uma péssima saúde bucal. Outros não tratam porque tem medo. Principalmente aqueles que tiveram traumas no passado com um dentista medieval, bruto e sem recursos.

Com a alma também é assim. Muitos ainda não sabem da necessidade, de como e porque precisam de um envolvimento mais sério com Jesus. Muitos se limitam apenas a ter uma fé teórica. Nada pratico. Tem apenas um simples rotulo, uma religião.

Outros fogem de Jesus porque carregam traumas enormes por causa de decepções com movimentos e pessoas que vivem um cristianismo inquisidor, medieval, obsoleto, medíocre e sem sentido. Uma proposta legalista e sem graça os encheu de medo.

A alma e o dente são semelhantes quanto ao preço do tratamento.

 

Considerando a política econômica (a condição financeira do povo) e todos os gastos mensuráveis em dinheiro para a formação e o exercício da profissão, um dentista tem que cobrar um preço acima do poder aquisitivo de grande parte de nosso povo. Muitos não conseguem pagar.

Com a alma também é assim, mas, paradoxalmente, com uma enorme diferença: a conta já foi paga. Jesus suportou injustamente a morte de cruz em nosso lugar. Agora, todos temos acesso gratuitamente a Deus por esse novo e vivo caminho.

Pobres e ricos, cultos e analfabetos, brancos e negros, homens e mulheres, o mais vil pecador...todos, arrependidos, podemos chegar a Deus através de Jesus e gozarmos de uma indescritível paz ( João 3:16 ).

 

Para encerrar...

 

Se uma pessoa, sabendo de tudo isso sobre os dentes e tendo oportunidade para cuidar-se, resolve não fazer higiene bucal visitar o dentista, etc. De quem será a culpa se os dentes apodreceram?

Se uma pessoa, sabendo de tudo isso sobre a alma e tendo oportunidade para entregar-se a Jesus e servi-lo, resolve não envolver-se, não ler a bíblia, não ter vida de oração, fazer o que quer e quando quer, sem limites...e, a alma apodrece, estraga afetando inclusive a família, vida profissional...De quem é a culpa: de Deus ou da própria pessoa?

Creio que a resposta para ambos os casos é a mesma.
 
Que Deus abençoe!

 
Que você tenha um sorriso lindo, com a alma em paz e os dentes saudáveis.

 

 


p/: Dr. Camilo de Souza Cruz

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!