ALIANÇA NO ESPÍRITO, ALMA E CORPO

03/07/2010 02:49

Já é bem comum entre nós ter consciência da importância em organizar nossas prioridades. Os princípios determinam nossos valores, os valores nossas prioridades e as prioridades nossas práticas. Infelizmente muitos ainda não entenderam o que significa colocar as prioridades em ordem. Usam a justificativa da prioridade para fugir de outras responsabilidades. Por exemplo, dizem que precisam priorizar sua família e negligenciam o reino. Tornam-se individualistas!

Os princípios estão revelados na palavra de Deus. Eles determinam o que tem valor para nós.

 

Todo aquele que considera os princípios, que são as direções divinas para que vivamos, tem valores diferenciados daqueles que não temem a Deus , “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria”.
 
Esses valores determinam as prioridades numa ordem, porém, nunca com a ênfase numa em detrimento da outra. Todas as prioridades são importantes, apenas cumprem uma escala de importância, pois uma não pode ser vivida sem a outra.
 
Por exemplo, a minha segunda prioridade é tão importante quanto a primeira, mas não pode ser colocada em prática se eu não viver a primeira; a terceira não pode ser vivida sem o pré-requisito da segunda, e assim por diante. O propósito final de tudo o que vivemos é a glória de Deus, o estabelecimento do Seu reino.

 

Não podemos esperar certas mudanças em nossas vidas se não considerarmos as prioridades.

 
Um casal não pode experimentar harmonia em seu relacionamento se cada um, individualmente, não andar no temor do Senhor e não viver os valores do reino. Muitos são iludidos pensando que certas estratégias, terapias, aconselhamento, vão resolver seus problemas. Temos que, definitivamente, parar de enganar a nós mesmos e encarar o fato de que tudo começa no relacionamento pessoal com Deus.

“O princípio da sabedoria é o temor do Senhor”. O que significa isso? Para que um relacionamento seja bem sucedido, precisamos ser saudáveis individualmente. Quando individualmente somos curados, o relacionamento é curado. Muito do que se faz aos casais não surte efeito pelo fato de não obedecerem a Deus no nível pessoal.

Aliança é uma ligação, uma entrega voluntária de duas partes. Se sabemos que casamento é aliança no espírito, alma e corpo, então tudo começa na área espiritual. É inútil tentarmos resolver os problemas na superfície.

O ESPÍRITO

 

A primeira prioridade individual está ligada ao espírito; é o relacionamento com Deus. No reino de Deus tudo acontece de dentro para fora.

É do espírito que flui a vida, passando pela alma, atingindo o corpo e alcançando outros.
 
Se eu quero ter um casamento no espírito, preciso considerar como primeira e absoluta prioridade minha aliança com Deus e me relacionar com Ele. A oração se torna a prática mais importante da minha vida!

 

A conversão é o primeiro passo para um relacionamento abençoado. É na presença dEle que recebemos todo o suprimento e sabedoria para lidar com os problemas. É completamente incoerente que alguém tenha relacionamento íntimo com Deus e trate seu cônjuge com aspereza, sem amor, sem compreensão. No altar de Deus somos ministrados pelo Espírito Santo.
 
Receber apenas conceitos só piora a situação. Paulo diz: “... A letra mata, mas o Espírito vivifica” (II Co.3:6). A palavra apenas denuncia, assim como a lei, que denunciava o pecado.
 
Freqüentemente encontramos casais que depois de ouvirem a palavra pioraram o relacionamento. Por quê? Porque a palavra denunciou o pecado, e um passou a julgar o outro em vez de, pelo Espírito de Deus, considerar o seu próprio pecado! Quando o Espírito entra, então a palavra cumpre seu papel, pois leva ao arrependimento e cura.
 
A ALMA

A segunda área do casamento é a alma. É na alma que se instalam as feridas, e as fortalezas. Também é onde estão os pensamentos, emoções e sentimentos. Quando entramos na intimidade com o Espírito Santo e pela oração somos ensinados por Ele, nossa alma começa a ser curada e liberta.


Ele é o nosso terapeuta! Jesus disse: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca” (Mt.26:41). O espírito está pronto, mas a alma está incompleta, doente escrava, e precisa da ação do Espírito Santo.

Raízes de amargura são arrancadas pelo poder do Espírito Santo. Só Ele pode nos ministrar e inclinar ao perdão.
 
A alma é a segunda prioridade porque cura e libertação vem depois de uma experiência no espírito. Muitos seguem anos sem tocar nas áreas da alma que precisam ser curadas, então seu relacionamento conjugal é o primeiro a ser afetado. É preciso querer ser curado. O orgulho, a mágoa e a falta de perdão, impedem que busquemos ajuda ou mesmo que reconheçamos precisar de libertação na alma.
 
Nossa mente é transformada quando passamos a ter convicções firmes, andar por fé. Isso nos faz ver as coisas do ponto de vista de Deus e compreender nosso cônjuge colocando-se no lugar dele. Pessoas curadas se expressam, se declaram, têm liberdade, não possuem comportamentos limitadores. Somos transformados pela renovação da alma (Rm.12:1,2).
 
Nenhum relacionamento pode perdurar se não houver mudanças de comportamento, se não houver transformação. Alguns dizem: “ele (a) casou comigo assim”, então acham que não precisam mudar, e que o cônjuge tem a obrigação de aceitá-lo (a) eternamente com suas esquisitices e defeitos. Isto é, no mínimo, egoísmo!

 O CORPO
 
Casamento no corpo é resultado de renovação da mente (alma). Quando a mente é renovada, o corpo pode ser depositado no altar como sacrifício vivo. O corpo segue os comandos da alma. Todo estímulo, iniciativa ou compromisso que envolve o uso do corpo é resultado do que acontece no interior, nesta ordem: espírito e depois alma.
 
O corpo está disposto para o trabalho quando a alma está saudável. Saúde física está diretamente ligada à saúde do espírito e da alma. Quando estamos bem espiritualmente e saudáveis emocionalmente, produzimos mais, fazemos tudo com mais ânimo e alegria.
 
A área ministerial

Um casal do ponto de vista de Deus sabe que seu casamento cumpre um propósito divino. O ministério é conseqüência de um relacionamento bem sucedido. Se não há harmonia, o casal perde a autoridade. Satanás lança acusações sobre os que não vivem bem em seus casamentos. Ele sabe muito bem como tirar o ânimo, a alegria e a unção de um ministério, é atingindo o relacionamento conjugal e familiar.
 
Mas, se temos essas prioridades em dia, nessa ordem, não precisamos temer. Nosso ministério será bem sucedido e a unção vai fluir. Não seremos hipócritas e daremos fruto a cem por um!

A área sexual

Alma doente prejudica a área sexual. Sexo é assunto espiritual! Existem maridos que querem fazer sexo sem dar a mínima para o relacionamento, e nem se dão conta de que isso para suas esposas, causam feridas e traumas enormes na alma.

Por sua vez um homem tem dificuldades sexuais quando a esposa é rixosa, amargurada e vive fazendo cobranças. O “espírito de Jezabel” tanto estimula para o sexo como também o inibe. O ato sexual deve ser o resultado de um romantismo que se cultiva no relacionamento.

Têm muitas esposas que reclamam do marido quando não as procura. Ele, porém, não é estimulado porque ela, muitas vezes, com suas atitudes de querer assumir controle de tudo e exigir o tempo todo, o deixa acuado. O homem foi criado para ser responsável e lider da família e a mulher por conseguinte, sua ajudadora. Mas por causa do liberalismo feminino que tem permeado nossa sociedade, o homem têm ficado passivo, inclusive na área sexual. É preciso buscar cura e libertação, tanto por parte do homem como da mulher.

Por outro lado alguns homens reclamam que suas esposas não gostam de sexo, não são descontraídas, não mostram interesse. Mas é porque não são supridas emocionalmente. A mulher precisa se sentir segura, amada e protegida; e isso espiritualmente, emocionalmente e materialmente! Se os dois nem mesmo se comunicam, que qualidade de relacionamento sexual podem esperar?

Uma só carne é muito mais do que fazer sexo; é viver o todo de um relacionamento: espírito, alma e corpo; é andar em parceria, em equipe, um complementando o outro em tudo.

CONCLUSÃO

Deus quer cumprir o Seu propósito a partir do casamento. É nas famílias que Ele idealizou o altar do avivamento. Famílias abençoadas e bem estruturadas podem ser uma bênção. Mas tem uma seqüência no cumprimento das prioridades: espírito, alma e corpo.
 
Não podemos esperar lares bem sucedidos sem considerar essa seqüência. Nosso padrão não é o do mundo. Pensar que podemos ter um bom casamento sem viver essa ordem de prioridade é pura ilusão. É tempo de pararmos de pensar que existem receitas miraculosas.
 
Só quem faz milagres é Deus, hoje, conosco, na pessoa do Espírito Santo. Ele pode e quer fazer um milagre em seu casamento. Mas considere, também, aquilo que só você pode fazer. Amém!
 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!